Escola de Música comemora 172 anos com lives no YouTube e Facebook

Mais antiga instituição do gênero no país, a Escola de Música da UFRJ (EM/UFRJ) comemora, de 10 a 15 de agosto, 172 anos de atividades ininterruptas. Por causa das medidas de combate ao novo coronavírus, que desaconselham reuniões presenciais, não haverá a tradicional semana de concertos e recitais. O evento foi obrigado a migrar para o universo virtual. Serão seis lives, sempre veiculadas às 19h pelo canal #concertosufrj no Youtube e pela página #musicaufrj no Facebook, mídias sociais impulsionadas pela EM/UFRJ.

EM-Lives

Divididas em uma série de três concertos virtuais e outra de três debates, cada live terá duração de cerca de 90 minutos e os internautas poderão interagir via chat.

Os concertos, como nas edições anteriores, estão marcados pelas efemérides musicais. Este ano os destaques são os 250 anos de nascimento de Ludwig van Beethoven, gênio alemão do período de transição entre o Classicismo e o Romantismo; e os compositores brasileiros Leopoldo Miguez (170 anos de nascimento), Alberto Nepomuceno (100 anos falecimento) e Ernani Aguiar (70 anos de nascimento) – todos os três com carreiras vinculadas à Escola de Música. Miguez comandou a instituição de 1890 a 1902, Nepomuceno em dois períodos, 1902-1903 e 1906-1916, e Ernani Aguiar é atualmente professor de Regência e titular da Orquestra Sinfônica da UFRJ (OSUFRJ).

Os concertos virtuais acontecem na terça (11), quinta (13) e sábado (15), os demais dias estão reservados para debates. Ao todo são mais de 40 convidados, entre grupos musicais, artistas, docentes, pesquisadores e especialistas.

Os concertos apresentarão obras emblemáticas dos homenageados e discutirão sua produção.  Os debates tratarão, com especialistas da UFRJ e de outras instituições, temas como as escolas de música frente aos desafios do ensino online e das ações pós-pandemia, o impacto da covid-19 na performance ao vivo e a relevância das orquestras das universidades federais brasileiras.

Mais informações sobre as lives no site da Escola de Música

 

Trajetória

Tudo começou quando, em pleno império, a Sociedade de Música conseguiu investir os recursos obtidos com duas loterias para inaugurar sua sede, em 13 de agosto de 1848 – se instalou em uma sala do Museu Imperial, na Praça da República. A iniciativa foi do compositor, regente e professor Francisco Manoel da Silva (1795-1865). A primeira sede própria só viria 24 anos depois, quando a Sociedade se mudou para a Rua Lampadosa, hoje Luís de Camões. No ano seguinte à Proclamação da República, já em 1890, a instituição virou Instituto Nacional de Música, transferida em 1913 para a sede atual, no Passeio Público. E em 1937, tornou-se Escola Nacional de Música. A atual designação foi estabelecida em 1965, quando, por força de decreto do regime militar, a Universidade do Brasil foi transformada em Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Serviço

Programação

Segunda-feira, 10 de agosto, 19h, Debate

Tema: “As Escolas de Música das universidades federais frente aos desafios do ensino online e das ações “pós-pandemia”: indicadores, estratégias, inovações e integração virtual e presencial nas instituições.”

Ronal Silveira, mediador (Diretor da Escola de Música da UFRJ)
Convidados: Jean Joubert (Diretor da Escola de Música da UFRN), Carlos Pires (Diretor da Escola de Música da UFPA), Sérgio Barrenechea (Diretor do Instituto Villa-Lobos da UNIRIO) e Ernesto Hartmann (Chefe do Departamento de Teoria de Arte e Música do Centro de Artes da UFES)

Terça-feira, 11 de agosto, 19h, Concerto e Debate

Ana Paula da Matta, mediadora (Departamento de Música de Conjunto, EM/UFRJ)
Convidados: João Vidal (Coordenador do PPGM/UFRJ) e Midori Maeshiro (Departamento de Piano e Percussão EM/UFRJ)

Compositor: Alberto Nepomuceno (1864-1920)

Valsa Op. 13 nº 2 (dur.: 2’40’’)
Cristiano Vogas, piano

Devaneio Op. 27 nº 1 (dur.: 2’52’’)
Ana Paula da Matta, piano

Improviso Op. 27 nº 2 (dur.: 2’14’’)
Ana Paula da Matta, piano

Valsas Humorísticas, para piano e orquestra (dur.: 25’35’’)
Orquestra Sinfônica Brasileira
Midori Maeshiro, piano | Mateus Araújo, regência

Quarta-feira, 12 de agosto, 19h, Debate

Tema: “Para além das lives: o impacto da covid-19 na performance ao vivo”

Aloysio Fagerlande, mediador (Coordenador do PROMUS da EM/UFRJ)
Convidados: Flávio Gabriel (Professor de trompete, Escola de Música da UFRN, Rogério Caetano (violonista, mestrando PROMUS EM/UFRJ).e Eduardo Pereira (regente/consultor artístico, OSB)

Quinta-feira, 13 de agosto, 19h, Concerto e Debate

Maria José Chevitarese, mediadora (Regente Coral Brasil-Ensemble | EM/UFRJ)
Convidados: Ernani Aguiar (Professor de Regência da EM/UFRJ), Yahn Wagner (Departamento de Composição da EM/UFRJ),  Liduíno Pitombeira (Departamento de Composição, PPGM, EM/UFRJ)  e Leonardo David (Diretor Artístico Camerata Sesi, Vitória).

Compositor: Ernani Aguiar (1950)

Seis Duetos, para violoncelos (1985, dur.: 8’’)
Duo Santoro (Paulo e Ricardo Santoro)

Meloritmias, para violoncelo solo (dur.: 6’35’’)
Iura Ranevsky, violoncelo

Monodia, para trompa solo (dur.: 4’05’’)
Tiago Carneiro, trompa

Duas Peças Curtas, para piano (dur.: 2’46’’)
(1. Modinha de Ouro Preto; 2. Toccatina)
Flávio Augusto, piano

Pastoral, para coro e orquestra de câmera (dur.: 4’50’’)
Coral Brasil-Ensemble, Coro Sacravox
Maria José Chevitarese, Valéria Matos, regentes
Orquestra Sinfônica da UFRJ, André Cardoso, Ernani Aguiar, direção artística

Sexta-feira, 14 de agosto, 19h, Debate

Tema: “Orquestras das universidades federais brasileiras: relevância artística e acadêmica”

André Cardoso, mediador (Diretor Artístico OSUFRJ e Coordenador Projeto SINOS)
Convidados: Alba Bomfim (Professora de regência e práticas interpretativas da Universidade Federal do Piauí), Miguel Campos Neto (Regente, Escola de Música da Universidade Federal do Pará), Fabrício Carvalho (Regente, Universidade Federal do Mato Grasso) e André Muniz (Regente, Universidade Federal do Rio Grande do Norte)

Sábado, 15 de agosto, 19h, Concerto e Debate

Andrea Adour, mediadora (Coordenador Projeto Ópera na UFRJ)
Convidados: Suelen Dias (Chefe da Biblioteca Alberto Nepomuceno da UFRJ), Flávio Augusto (Pianista acompanhador da EM/UFRJ), Verushka Mainhardt (Departamento de Canto) e Fábio Adour (Departamento de Musicologia e Educação Musical).

Ludwig van Beethoven (1770-1827)

Sonata Les Adieux, mov. 1 (dur.: 7’30)
Flávio Augusto, piano

Improvisação livre sobre dois temas da Quinta Sinfonia (dur.: 7’46’’)
Alexandre Rachid, piano

Wonne der Wehmut, Op. 83 nº 1 (dur.: 2’45’’)
Caê Vieira, barítono
Silas Barbosa, piano

Leopoldo Miguez (1850-1902)

Nocturno Op. 20 nº 1 (dur.: 3’25’’)
Ana Paula da Matta, piano

Valsa Op. 28, para piano (dur.: 3’33’’)
Ana Paula da Matta, piano

Alberto Nepomuceno (1864-1920)

A Galhofeira, para piano (dur.: 3’15’’)
Flávio Augusto, piano

 

Detalhes do evento:


Map Unavailable

Dia(s): 13/08/2020 - 15/08/2020
Horário: 19:00 - 20:30

Local:
Online: https://www.youtube.com/user/concertosufrj

Categoria(s):

Inscrição:

A confirmação de inscrição no evento é de responsabilidade do organizador do mesmo.

Valor: Gratuito
Período de inscrição:até 10/08/2020
Site: http://musica.ufrj.br/
Instituição responsável: Escola de Música
Email do organizador:comunicacao@musica.ufrj.br
Telefone de contato: (21) 2240-1441

Comments are closed.